As trilhas sonoras mais famosas do século 20

Autor: 
Sílvio Anaz
Dez mais famosas trilhas sonoras do cinema

Música e imagem sempre caminharam juntas no cinema. Mesmo na era do cinema mudo, pianistas criavam trilhas sonoras ao vivo durante as projeções nas salas de exibição mundo afora. A importância da música é tal no cinema que George Lucas, um dos magos da sétima arte, afirmou que o áudio corresponde a 50% do prazer de se assistir a um filme.

Charles Chaplin era tão preocupado com a qualidade e a pertinência das músicas que acompanhariam as projeções das aventuras de Carlitos que ele mesmo compunha as trilhas sonoras de seus filmes mudos. As partituras criadas por Chaplin eram então enviadas junto com as películas para que os pianistas as executassem durante as projeções e não ficassem criando suas próprias composições, que muitas vezes poderiam comprometer o significado das cenas.

Elvis
Reprodução
Elvis Presley em cena do filme "Feitiço Havaiano",
cuja trilha sonora é uma das dez mais populares do século 20

Outro exemplo dessa preocupação da relação da música com as cenas dramáticas está no trabalho do cineasta russo Sergei Eisenstein. Para seus filmes mudos, como “O Encouraçado Potemkin” (1925), ele encomendava a composição das trilhas sonoras a consagrados compositores eruditos, como Dmitri Shostakovich. Isso significava que, antes da criação de tecnologia que imprimisse o áudio junto com a película, havia a necessidade de se colocar uma orquestra inteira dentro do cinema para se assistir a um dos filmes de Eisenstein conforme ele tinha os concebido.

Esse grau de preocupação do cineasta russo com a qualidade das músicas nos filmes chegaria somente no final da década seguinte aos Estados Unidos. A indústria cinematográfica americana já estava na fase do cinema sonoro desde o lançamento de “O Cantor de Jazz” (1927), o primeiro longa-metragem sonoro da história do cinema. Mas o cinema falado hollywoodiano só se daria conta da importância da trilha sonora com “Fantasia” (1940). A revolucionária animação criada por Walt Disney invertia a lógica do cinema até então e colocava imagens para interpretar músicas. Obras de Tchaikovsky, Mussorgsky e Schubert, entre outros, executadas pela Orquestra Sinfônica da Filadélfia, sob a regência do astro da música clássica Leopold Stokowski, inspiraram sequências inesquecíveis de animação. A magia das imagens e, para a época, o excepcional som em estéreo impactaram a audiência e renderam dois Oscars ao filme.   

Pôster do filme Casablanca
Reprodução
A música "As Time Goes By" é uma das marcas registradas do clássico "Casablanca"

Como vemos, desde os primórdios da sétima arte, a trilha sonora tem sido um dos fatores de encantamento das audiências. Não é à toa que muitos dos principais sucessos da história do cinema são lembrados por suas músicas temas ou trilhas sonoras. É o caso de “Titanic”, “Guerra nas Estrelas”, “Casablanca”, “Indiana Jones”, “Missão Impossível”, para citar apenas alguns. Mas há também casos em que a trilha sonora acaba se tornando muito mais importante do que o filme. “Help!” é um bom exemplo. Apesar de não ser um campeão de bilheterias, o filme é recheado com as músicas que renderam um dos mais bem-sucedidos discos dos Beatles.

Na segunda metade do século 20, com a ascensão da cultura pop, cada vez mais as trilhas sonoras tornaram-se um fator fundamental para o sucesso dos filmes. Mas se você imagina que há uma relação direta entre os melhores filmes e as trilhas sonoras preferidas do público, se enganou. Muitas vezes, a popularidade das músicas supera a das imagens, do roteiro e do trabalho de atores e diretores. Confira na próxima página quais foram as dez trilhas sonoras de filmes para o cinema mais bem-sucedidas no século 20, segundo a Billboard.